Fechar
Metadados

%0 Conference Proceedings
%4 sid.inpe.br/mtc-m17@80/2007/11.26.14.28
%2 sid.inpe.br/mtc-m17@80/2007/11.26.14.28.37
%F self-archiving-INPE-MCTIC-GOV-BR
%T Estudo de Caso: Variação Diurna das Espessuras Ópticas de Aerossóis para Dias Com e sem Picos no Observatório Espacial do Sul Entre 1998 E 2007
%D 2007
%A Possani, Germano,
%A Alvalá, Plínio C.,
%A Pinheiro, Damaris K.,
%A Schuch, Nelson J.,
%A Soares, Ana Marceli,
%A Pereira, Nadiara,
%@affiliation Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)
%@affiliation Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)
%@affiliation
%@affiliation Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)
%@affiliation Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)
%@affiliation Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)
%B Congresso Regional de Iniciação Científica e Tecnológica em Engenharia e X Feira de Protótipos.
%C Passo Fundo, RS
%8 29-31 outubro
%S Proceedings
%K Aerossóis, Variação Diurna, Espectrofotômetro Brewer.
%X A radiação solar é absorvida e espalhada quando percorre a atmosfera terrestre. Os aerossóis, que são partículas em suspensão na atmosfera, tanto absorvem quanto espalham essa radiação, dependendo da sua composição. A observação da Espessura Óptica de Aerossóis (EOA) é mais uma possibilidade de análise da atmosfera, possibilitando diferenciar uma atmosfera limpa da poluída. O Método de Langley, que é uma aplicação da Lei de Beer para a atmosfera terrestre, propõe uma relação entre a incidência de radiação no topo da atmosfera e a incidência na superfície através da Espessura Óptica Atmosférica, a qual representa o somatório das contribuições das espessuras ópticas: do Espalhamento Rayleigh, dos gases traços como O3, SO2 e NO2 e aerossóis.
%@language pt
%3 possani_estudo.pdf


Fechar